Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Chamou a minha atenção uma notícia publicada no Jornal online "O Público" com o seguinte título:

"Portugal a meio da tabela de ranking/ mundial de ensino superior"

Segundo o jornal, o ensino superior português está a meio da tabela de ranking mundial, o que não é propriamente mau.

Não consegui encontrar informação sobre a posição que o ensino superior cabo-verdiano ocupa nesse ranking.

No entanto, para que venha a ocupar um lugar de destaque nesse ranking, o ensino superior cabo-verdiano terá de vencer várias apostas importantes, de entre as quais saliento:

a) A passagem de uma actividade académica essencialmente baseada na transmissão do conhecimento para um paradigma de formação que combine harmonicamente a produção do conhecimento (pela investigação), a difusão do conhecimento (pelo ensino) e a mobilização desse conhecimento para a prestação à comunidade de serviços compagináveis com a sua missão (extensão);
b) O reforço da qualiade do corpo docente da sinstituições de ensino superior, tanto em termos de elevação do grau académico como de formação pedagógica, enquanto componente indissociável da profissionalidade docente no ensino superior;
c) O reforço dos meios e condições de aprendizagem dos estudantes e a promoção da centralidade destes na vida académica.
d) A democratização do processo de gestão das instituições de ensino superior, com o envolvimento dos diversos corpos da academia (professores, estudantes e trabalhadores) na tomada das decisões concernentes à vida universitária e bem assim na sua realização;
e) O aprimoramento da capacidade de avaliação interna, a nível de cada uma das instituições, pressuposto indispensável para que as instituições possam, por si róprias, monitorar o cumprimento da sua missão, sem que tenham de aguardar pela realização das avaliações externas;
f) A criação de um sistema de avaliação da qualidade do ensino superior credível, assegurado por entidade(s) autónomas e altamente qualificadas e que alie os referenciais gerais de qualidade com as especificiadades de missões e funções das diferentes instituições;
h) A concepção e implementação de um sistema de acção social universitária que propicie a equidade no acesso à formação superior pelos estudantes das diferentes camadas sociais, sem prejuízo da criação de mecanismos que garantam a sustentabilidade do mesmo sistema;
i) A implementação de  políticas públicas indutoras de qualidade no ensino superior, aferida em termos que combinem o desempenho das funções essenciais da Universidade (orientadas, em suma, para a promoção da alta cultura) e das funções ditas "utilitárias" para a economia, o mercado e a sociedade em geral.

Bartolomeu Varela

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:41



Mais sobre mim

foto do autor


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D